quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Richard Carpenter - Pianist, arranger, composer, conductor

 
  1. Prelude
  2. Yesterday Once More
  3. Medley: Sing / Goodbye To Love / Eve / Rainy Days And Mondays / Look To Your Dreams / Superstar / Someday
  4. I Need To Be In Love
  5. Sandy
  6. Time
  7. For All We Know
  8. One Love
  9. Bless The Beasts And Children
  10. Flat Baroque
  11. All Those Years Ago
  12. Top Of The World
  13. We've Only Just Begun
  14. Karen's Theme
Richard Carpenter


Richard Lynn Carpenter (New Haven, Connecticut, 15 de outubro de 1946) é um artista e pianista americano conhecido por ter feito parte da dupla Carpenters junto com sua irmã Karen Carpenter.

Richard Lynn Carpenter nasceu em 15 de outubro de 1946 em New Haven, Connecticut. Recebeu o mesmo nome do irmão mais novo de seu pai, Richard Lynn Carpenter. Coincidentemente, Richard e seu tio casaram-se com mulheres chamadas Mary.

Ele frequentemente tocava o piano enquanto sua irmã, Karen, jogava beisebol lá fora. Ele e Karen também gostavam de ouvir os discos infantis que seu pai lhe trouxe. Quando conheceu a música de Perry Como e Ella Fitzgerald, entre muitos outros, aos 12 anos, ele decidiu que queria estar na indústria da música.

A família Carpenter mudou-se de New Haven para Downey, Califórnia em junho de 1963. Eles queriam que Richard progredisse em sua carreira musical além de a família estar aborrecida com os invernos gelados da Nova Inglaterra. Àquela época, Richard estava com 16 anos e estudava música na California State University em Long Beach, lá encontrando Frank Pooler, maestro e compositor. Pooler escrever as letras para o clássico natalino "Merry Christmas Darling" em 1968. Ele também conheceu seu parceiro musical e amigo John Bettis, que coescreveu muitas canções com Richard.

Richard criou o Richard Carpenter Trio em 1965 com a irmã Karen e o amigo Wes Jacobs. Richard tocava piano; Karen, bateria e Wes tocava a tuba e o baixo. Em 1966 o Richard Carpenter Trio tocou "Iced Tea" and "The Girl from Ipanema" no Hollywood Bowl na Batalha das Bandas. Eles ganharam a competição e logo após gravaram três faixas nos estúdios da RCA: "Every Little Thing," "Strangers in the Night" e o original da banda, "Iced Tea". "Iced Tea" é a única gravação que foi oficialmente lançada para o público. Por volta de 1967, Richard e Karen juntaram-se a quatro outros estudantes de música da universidade para formar um sexteto, Spectrum, com: John Bettis, Richard Carpenter, Karen Carpenter, Leslie Johnston, Gary Sims e Danny Woodhams.

Embora o Spectrum tocasse com frequência em clubes noturnos da região de Los Angeles, eles tiveram uma recepção pouco calorosa, sua harmonias e a aversão ao rock'n'roll limitaram o potencial comercial do grupo. Mas ainda assim a experiência do Spectrum rendeu boas sementes para o futuro sucesso: Bettis tornou-se um letrista para as composições originais de Richard e todos os outros membros, com a exceção de Leslie Johnston viriam a ser membros dos Carpenters.

Richard e Karen finalmente assinaram com a A&M Records em 22 de abril de 1969. "Vamos ter esperança de que tenhamos alguns sucessos", disse Herb Alpert aos dois. De acordo com Richard, Herb Alpert deu-lhes carta branca nos estúdos de gravação e após Offering ter sido lançado e não conseguir boas vendagens, muitas pessoas lhe disseram para dispensar os Carpenters da gravadora, mas ele disse aos colegas que lhes daria mais uma chance.

Alpert sugeriu que os Carpenters gravassem uma canção de Burt Bacharach, chamada "(They Long to Be) Close to You." Embora Richard só tenha trabalhado nos arranjos após a insistência de Alpert, seus talentos foram evidenciados no produto final. Seus arranjos e talentos musicais, assim como os vocais de Karen, fizeram a música alcançar o topo das paradas da Billboard Top 100 e lá ficar por um mês. "(They Long to Be) Close to You" ganhou reconhecimento público da noite para o dia. De acordo com Richard, mesmo tendo a canção ganhado popularidade da noite para o dia, o mesmo não aconteceu para os Carpenters.

Certa noite, Richard estava em casa assistindo à televisão e viu um comercial para o Crocker National Bank. Reconheceu as vozes de Paul Williams e Roger Nichols, dois compositores da A&M. Era a canção "We've Only Just Begun". Richard confirmou o envolvimento deles e perguntou se havia uma versão completa da canção, o que foi confirmado por Williams. Richard conseguiu transformar um jingle de banco em um sucesso com disco de ouro certificado pela RIAA. Atingiu a segunda posição na Billboard Hot 100, e transformou-se numa canção comum em casamentos. A canção também lançou com sucesso as carreiras de Nichols e Williams com múltiplos sucessos, não somente dos Carpenters mas também de outros artistas.

Richard compôs muitos dos sucessos dos Carpenters, tais como:

    * "Goodbye to Love" (uma das primeiras baladas com solo de guitarra - 7ª posição -
       influenciou o desenvolvimento do estilo power ballad)
    * "Top of the World" (a única canção dos Carpenters no Top 10 - 1ª posição)
    * "Yesterday Once More" (2ª posição)
    * "Only Yesterday" (4ª posição)

Enquanto Karen sofria de anorexia nervosa, Richard sofria com a dependência de quaaludes, um tipo de sonífero. Foram-lhe prescritos pelo médico como forma de facilitar o sono, mas seu uso saiu de controle. Ele veio a procurar tratamento na clínica Menninger, em Topeka, Kansas em 1979 para um tratamento de oito semanas, o qual teve sucesso.

Três dias antes de seu trigésimo sétimo aniversário, a família Carpenter celebrou a inauguração da estrela dos Carpenters na Calçada da Fama em Hollywood. Ele disse em seu discurso que isso foi uma experiência ao mesmo tempo amarga e doce por causa da morte trágica de Karen, ainda que fosse capaz de celebrar a estrela.

Começou a gravar um álbum solo em 26 de junho de 1985 e terminou o álbum em 5 de julho de 1987[4] O álbum foi chamado "Time". Teve participações de Dusty Springfield e Dionne Warwick. Springfield cantou "Something in Your Eyes" e Warwick cantou "In Love Alone". Richard criou uma canção dedicada a Karen chamada "When Time Was All We Had".

Em 1984, Richard casou-se com Mary Rudolph (cujo irmão, Mark Rudolph, era o road manager dos Carpenters, assim como ouvinte que participa durante o pot-pourri de músicas antigas do álbum de 1973, Now & Then. Richard e Mary têm cinco filhos: Kristi Lynn, Traci Tatum, Mindi Karen, Colin Paul e Taylor Mary. Richard e os filhos às vezes se apresentam juntos em vários eventos relacionados aos Carpenters. A família hoje reside em Thousand Oaks, Califórnia.

Recentemente, Richard participou das produções dos documentários "Close to You: Remembering the Carpenters" (1997) e "Only Yesterday: The Carpenters Story" (2007). Ele lançou os DVDs "Gold: Greatest Hits (DVD)|Gold: Greatest Hits" e "Interpretations (Carpenters DVD)|Interpretations." Richard está preparando um novo disco natalino que será lançado em 2009.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Billy Vaughn - Crepúsculo (Twilight Time)

 
  1. Sail Along Silv'ry Moon
  2. Sunrise Serenade
  3. Sweet Georgia Brown
  4. Sentimental Journey
  5. Until Tomorrow
  6. Jealous
  7. Raunchy
  8. Twilight Time
  9. Sleepy Time Gal
  10. I'm Getting Sentimental Over You
  11. Moon Over Miami
  12. Tumbling Tumbleweeds
Crepúsculo
 

É sempre uma notícia auspiciosa para os discófilos o aparecimento de um novo LP de Billy Vaughn e sua Orquestra. Efetivamente, Billy é um dos artistas mais populares do mundo, pois suas gravações figuram reiteradamente nas paradas de sucessos dos cinco continentes.

No Brasil, quer seja em LP, em compacto ou em 78 rotações, a presença de Billy Vaughn entre os mais vendidos, é constante.

Talvez o principal segredo do sucesso desta consagrada Orquestra resida no comedimento que norteia todo o trabalho de Billy Vaughn. Ele conseguiu criar um estilo de interpretação que agrada a gregos e troianos. Em outras palavras, seus discos são dançáveis e audíveis. Mesmo quando executa melodias de caráter mais moderno, Billy o faz de maneira a que os saudosistas e os tradicionalistas da música popular americana e internacional também possam ouvi-las com prazer.

Neste LP Billy rende tributo a uma coleção de êxitos de todos os tempos, salientando-se "Twilight Time" (que dá título ao álbum), "Sunrise Serenade" - que os velhos admiradores do cancioneiro popular ianque recordam através da gravação de Glenn Miller, "I'm Getting Sentimental Over You", imortalizada por Tommy Dorsey, "Sentimental Journey", "Sleepy Time Gal" e muitas outras. Todas elas interpretadas à maneira de Billy Vaughn, tão do agrado de nosso público.


(Ricardo Macedo, das notas originais do LP)

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Maestro Zezinho e Orquestra TVSom - Para Ouvir e Dançar


01. Pennsylvania
02. La Paloma
03. Pou Pourri - Bolero: Solamente una vez/Contigo en la distancia/Desesperadamente
04. Pou Pourri - Mambo: Mambo-Jambo/More-More Mambo
05. Nel blu dipinto di blu
06. Tô arretado
07. Pou Pourri - Italiano: Al di la/Dio come ti amo/Non pensare a me
08. Pou Pourri - Samba: Ainda ontem chorei de saudade/É o amor
09. Pou Pourri - Cha, cha, cha: Fio de cabelo/Meu primeiro amor
10. Mulher
11. Moliendo cafe
12. Pou Pourri - Maxixe: Gavião calçudo/Jura/Capim gordura
13. Exodus

Para Ouvir e Dançar

Quem não gostaria de ter a experiência de dançar "cheek-to-cheek" ao som das grandes orquestras? Parece até uma viagem no tempo, para décadas passadas. Mas para quem ainda não experimentou essa deliciosa sensação, esta gravação vai fazer notar que os antigos pés-de-valsa estão aí de novo, presentes nas festas e casas noturnas.

A Orquestra TVSom tem-se apresentado junto com o maestro Zezinho em muitas cidades do Brasil, num show musical feito para ver, ouvir e dançar. As músicas são acompanhadas por bailarinas e cantores que agradam não só os que sabem dançar mas também aqueles que gostam de apreciar a beleza especial das coreografias e interpretações.

Dançar junto em sincronia: está aí o grande prazer de mover os pés no balanço gostoso do maestro Zezinho e sua Orquestra, completos, diga-se de passagem. Isso fica demonstrado quando se percebe a qualidade do naipe de metais se destacando dos outros instrumentos. É a composição ideal. São os trompetes, trombones e saxofones que proporcionam brilho e animação aos arranjos, mantendo o estilo e a sofisticação das grandes orquestras.

Maestro Zezinho e televisão têm os nomes irremediavelmente ligados. Mas sua história começa mais longe, sempre ao lado de Silvio Santos, desde os tempos da extinta Rádio Nacional de São Paulo. Agora, nesse seu primeiro trabalho em estúdio, fica registrada a vocação do maestro e a Orquestra TVSom: fazer o público ouvir e deixar todo mundo com vontade de sair dançando pela sala, ao som dos grandes sucessos do mambo, samba, bolero, axé music, regae, salsa, forró, cha-cha-cha, fox e outros ritmos.

(Extraído das notas originais do álbum)

O pernambucano José Batista da Silva Jr, mais conhecido como Mestro Zezinho, tantas vezes chamado por Silvio Santos no Qual é a Música?, do SBT, começou desde cedo a trabalhar na vida noturna tocando em festas e boates:

“Nos anos 60, São Paulo tinha uma vida musical muito rica, com muito trabalho”, explica o maestro que, além de tocar piano, se arrisca no violão além de tocar trompete.

Exatamente em 1963, quando o então radialista Silvio Santos decidira iniciar sua carreira televisiva, maestro Zezinho estava lá:
“Ele começou comprando uma hora no domingo na extinta TV Paulista”, lembra Zezinho, que conheceu Silvio Santos na Rádio Nacional fazendo o Programa do Meio Dia, que era comandado pelo saudoso Manoel da Nóbrega:

“O programa era ao vivo e com auditório. Começamos na rua Sebastião Pereira, na Santa Cecília, e, depois, fomos para a Rua das Palmeiras”.

Na época, os cantores do rádio Hebe Camargo, Cauby Peixoto, Francisco Egídio, Roberto Luna, além dos humoristas Canarinho e Ronald Golias participavam do programa da rádio Nacional, que, na época, era uma das empresas das Organizações Victor Costa.

O programa de calouros Cuidado com a Buzina, que começou com apenas uma hora, ia ganhando espaço e passou para três horas meses depois:

“Com o sucesso do Silvio como apresentador, chegamos a ficar em duas emissoras. Aos sábados, fazíamos programa na TV Tupi, que, além de São Paulo, abrangia o Sul de Minas e aos domingos continuávamos na TV Paulista”, conta o maestro, que comandava uma orquestra de 14 músicos.

Zezinho passou por todos os programas musicais de Silvio: Cuidado com a Buzina, Domingo no Parque, Qual é a Música, Cidade contra Cidade, Show da Loteria, Os Galãs Cantam e Dançam, Viva o Samba, Silvio Santos Diferente, além do Show De Calouros, por mais de 20 anos.

Zezinho também trabalhou com outros apresentadores: Flávio Cavalcanti, Raul Gil e até Gugu Liberato trabalharam com o maestro, que liderou por muitos anos a Orquestra do SBT.

No auge dos 72 anos, e casado há mais de 40 com a D. Petronilha, Zezinho decidiu afastar-se um pouco de São Paulo e vive em uma chácara, na região metropolitana paulista, junto com o neto de 18 anos.

Na chácara, o maestro tem uma vida pacata, cria galinhas, gansos e cachorros. Não faz shows há um bom tempo, mas planeja voltar aos palcos brasileiros, através de espetáculos que deverão percorrer os grandes teatros brasileiros.

(From ofuxico.terra.com.br)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...